Publicidade

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

A espetacular teia do espetacular Homem-Aranha




A trilogia do Aranha dirigida pelo Sam Raimi, entre qualidades e defeitos, mudou um ponto fundamental na história do herói e que gerou polêmica de todos os lados, que foi a teia natural (acho que essa celeuma só durou no 1º filme, depois as pessoas deixaram pra lá).






Estávamos acostumados com Peter Parker tendo que se preocupar em recarregar cartuchos no meio da peleja, e de repente isso deixou de ser um problema. Felizmente (talvez não tanto pra ele), esse conceito voltou no prematuro reboot.

O segredo está no biquinho



Como raios é essa teia sintética? Ela é capaz de tudo isso? Um nerd de 15 anos criado pela tia poderia fazê-la em casa?


As características descritas trazem um monte de complicações: a teia fica na forma de fluido, que ao ser projetada por um orifício (dos web-shooters) torna-se uma fibra que gruda em qualquer superfície e ganha consistência instantaneamente, e forte o suficiente para conter um caminhão de 16 toneladas (palavras do próprio Peter Parker).







Teias sintéticas

Aqui é isolada a proteína produzida pelas
bactérias alteradas geneticamente. 

Mayumi Negishi do The Wall Street Journal
A teia é uma fibra com força e elasticidade consequentes da estrutura proteica longa e complexa. Essa estrutura é bastante estudada, mas replicá-la integralmente em laboratório não é nada fácil. Por isso, tem se tentado produzir teias de diversas maneira, até alterando cabras geneticamente de maneira que elas produzam a fibra em seu leite (!). 

Alguém percebeu que é mais fácil ordenhar uma cabra do que duzentas aranhas.

O caminho que a start-up japonesa Spiber Inc. encontrou foi inserir em bactérias o DNA recombinante para produzir a proteína, que depois é isolada.
Um grama de proteína produz quase 8 km de fio.








Esse trailer era bem maneiro, hein?
Pesquisadores descobriram ainda que é possível aumentar a resistência dos fios adicionando átomos metálicos, principalmente, Zn, Ti e Al. Há quem diga que uma trama de fios da espessura de um lápis é capaz de segurar um avião.







Até onde sabemos a família Parker não tem uma criação de cabras. A cultura de E. coli pode ser mais fácil para o Pedro Parque. Resta ainda a parte de como transformar a matéria prima proteica em fios, e aqui entra a técnica de microfluidos

Kinahan, M. E. et al.,
Biomacromolecules. May 9, 2011; 12(5): 1504–1511.
Neste artigo, a matéria-prima é fibroina regenerada de bicho-da-seda Bombyx mori, em solução aquosa passando pelos canais de um dispositivo microfluídico a reagir com poli-óxido de etileno. A redução de pH provocada por este reagente faz com que a solução de fibroina se estruture como uma fibra de fato, se alongando pelo canal até chegar a um banho de metanol para coagulação.

Neste caso, o lançador de teias seria um dispositivo que imita o mecanismo de formação do fio no próprio bicho-da-seda.


Outro artigo mostra o esquema de formação da fibra, mencionando inclusive o fato da ponta do fio ser grudenta.

Rammensee, S. et al.,
 Proc Natl Acad Sci U S A. May 6, 2008; 105(18): 6590–6595.


Mais sobre a teia no vídeo dessa semana do Nerdologia 44





"Spider-man, Spider-man...  eee"


2 comentários:

  1. Muito interessante o post. Eu sei que no gibi original não era assim, mas eu acho que faz muito mais sentido (se é que há sentido algum no homem-aranha) o corpo do cara produzir sua própria super teia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro que teve muito mimimi na época do 1º filme por conta disso...

      Excluir